• Rafaela Pero

COLETA DE DADOS E INFORMAÇÕES: COMO FAZER E POR QUE É IMPORTANTE PARA O TRADE MARKETING

Você entende a importância de fazer a coleta de dados e informações para a criação de uma estratégia de trade marketing?


Devemos deixar algo claro: somente com inteligência é possível entender se o plano de trade marketing está no caminho certo. Para isso são extremamente importantes as análises de mercado, concorrentes e comportamento de shoppers.

A busca por essas informações começa no PDV. Por isso, é tão importante que as equipes de promotores de venda saibam quais dados devem ser repassados aos times de back-office.

Mas vamos saber tudo sobre o processo de coleta de dados e informações?

Como começar a coleta de dados e informações

Uma estratégia bem-sucedida de trade marketing começa com um planejamento detalhado. É fundamental saber quais são os objetivos do negócio para determinar os dados que precisam ser analisados.

Uma das tarefas mais importantes para uma operação de trade marketing eficiente é a gestão e o monitoramento dos KPIs (Key Performance Indicator – Indicadores-chave de Performance) de trade marketing.

Eles são os indicadores responsáveis por mostrar o desempenho da sua execução, e permitem acompanhar os processos internos e o gerenciamento das equipes. A escolha de quais dados serão coletados do PDV é inteiramente do seu negócio.

Se utilizados corretamente, os KPIs ajudam a melhorar os resultados no ponto de venda, otimizando processos e apontando áreas que precisam de melhoria.

Outro ponto importante é contar com uma equipe que faça parte do desenvolvimento de um plano estratégico.

O risco de não ter uma equipe capacitada para fazer a interpretação e cruzamento dos dados é que muitas vezes essas informações são desperdiçadas e decisões importantes não são tomadas.

Entenda o motivo da coleta de dados e informações

Uma boa ideia para os primeiros passos na coleta dos dados coletados no PDV é perguntar-se:

Por quê?

Para quê?

Quando pegamos uma série de números e dados sem entender o motivo e o que desejamos a partir dele, corremos o risco de terminar o dia com números aleatórios que não possuem nenhuma representação ou significância para o seu negócio.

Se não há estratégia, não adianta haver indicadores. Cruze os dados recebidos do campo com informações externas, avalie o contexto, a perspectiva, compare com o comportamento dos shoppers, das pessoas que vivem naquela região.

Se os dados geram conhecimento, você pode comunicar isso de forma natural.

O trabalho funciona quando esses dados trazem algum tipo de valor real para a organização. Traduza esses números e facilite o trabalho da sua equipe.

Outra questão essencial é definir regras e estratégias de negócio claras. Se isso não for estabelecido, a análise fica incompleta.

Como a tecnologia auxilia na coleta de dados e informações do varejo

Parcerias podem ser estabelecidas entre o gestor de trade marketing, o vendedor e o varejista para compartilhar os dados e buscar formas para que todos saiam ganhando.

Mas para isso o gestor de trade marketing precisa estudar e traçar um bom plano de ação para otimizar as vendas no PDV.

Deve, antes de qualquer coisa, entender o comportamento do público. Para isso, ele usa dados de BI e busca entender padrões de comportamento.

A partir dos dados obtidos, ele pode verificar que em um PDV há mais venda de determinado produto.

É possível analisar o contexto do local e verificar que o motivo das baixas vendas de um produto X é o valor, por exemplo. Em outros casos, pode ser a qualidade do produto ou até mesmo, o impacto da marca.

Todos estes dados oferecem ao gestor de trade marketing possibilidades de otimizar campanhas e melhorar os resultados.

Mas tudo isso só será possível se os dados obtidos de cada PDV forem precisos.

É nesta hora que a tecnologia se torna indispensável. Com promotores munidos de dispositivos móveis, seja um celular, tablet ou notebook, é possível mandar dados de diversos PDVs, direto do local.

Um bom gestor de trade marketing mostra seu trabalho ao cultivar dados precisos, adequados e já separados por categoria, para serem analisados.

As planilhas, por exemplo, feitas manualmente e sem possibilidades de automação, tornam este trabalho praticamente impossível.

Um sistema integrado, que faça uma análise dos dados e ofereça informações precisas, dão um ganho de produtividade enorme para o gestor de trade marketing.

Desde o giro dos produtos no PDV até questões mais específicas, tudo pode ser apoiado pela tecnologia presente em softwares e aplicativos.

Gostou das nossas dicas? Continue nos acompanhando por aqui.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo